terça-feira, 27 de abril de 2010

ORAÇÃO MEDITATIVA


Olá caríssimos,
Em nossa última EBD, ao estudarmos alguns aspectos da vida do patriarca hebreu Isaque, falamos sobre a importância de uma prática espiritual cultivada por ele – a oração contemplativa, ou oração meditativa. Trata-se da prática de orar em silêncio, de aquietar a alma para meditar em Deus e na sua Palavra. Falamos que isso envolve um diálogo interno entre nós e nossa alma, no qual convidamos uma terceira pessoa para fazer parte dessa conversa: o nosso Deus.
Infelizmente essa prática tão preciosa a heróis da fé como o profeta Elias ou o rei Davi, e também tão comum no ministério de Jesus, tem sido tão negligenciada pela nossa geração.
Aprendi com Rubem Amorese em seu livro Louvor, Adoração e Liturgia um exercício espiritual que nos ajuda a praticar a oração meditativa, travando um diálogo interessante com a nossa alma. Convido vocês a praticá-lo.
Vamos lá então. Antes de começar o diálogo interno, procure um lugar tranqüilo, onde você possa passar um bom tempo em silêncio (pode ser o seu quarto. Eu, particularmente, gosto de ir para um monte ou pegar minha bike e sumir numa dessas estradinhas rurais de Ktá). Estando nessas condições, comece a aquietar seu coração. Respire pausadamente. Peça a Deus sua presença, peça para ouvir a voz dEle. Convide-O a participar desse momento tão especial, tão íntimo.

1º passo: Já calmo e desacelerado, olhe para dentro de si mesmo concentrando-se na sua alma e pergunte para ela assim: “como você está?” É claro que você não terá respostas verbalizadas, mas certamente sua alma lhe “responderá” com sentimentos e emoções. Ela poderá dizer pra você: Medo, ansiedade, inveja, orgulho, frustração, abatimento, desânimo, desejo, gratidão, etc. É interessante que você se concentre num deles, aquele que se destaca mais e pergunte o porquê. Nessa hora você estará perguntando como o salmista: “Por que estás abatida, ó minha alma?”. Nessa hora talvez seja um bom momento para se concentrar num sonho, principalmente aqueles recorrentes que você talvez tenha dado pouca atenção. Lembre-se que se conseguirmos ouvir nossos sonhos, descobriremos muita coisa de nós mesmos.

2º passo: Pergunte para si mesmo: “Existe uma palavra na Bíblia para isso? Há algo que o Senhor disse em sua Palavra que traz luz sobre esse tema? Certamente você será levado a algum texto e, então, você exorte a sua alma com essa palavra do Senhor. Não se esqueça, trate a sua alma com compaixão. Não seja complacente com sua alma, mas também não seja rigoroso demasiadamente. Seja tão somente fiel à Palavra de Deus sobre esse tema.

3º Passo: Agora é hora de dirigir-se a Deus novamente e apresentar a Ele essa conversa (O salmo 131 exemplifica isso). Nessa hora talvez seja interessante fazer um acordo com as partes envolvidas, ou seja, com sua alma e com Deus. A Bíblia chama esse acordo de voto. Atenção! Nada de voto impreciso, vago ou tolo (aquele que não se tem condições de cumprir). Pegue leve com sua alma! O voto precisa ser mensurável, precisa ser fácil avaliar se você está cumprindo ou não. Exemplo: é muito complicado avaliar um voto do tipo: “darei mais atenção à minha namorada”. É preferível você dizer: “levarei minha namorada para jantar fora pelo menos duas vezes por mês”. Outro exemplo: em vez de fazer um acordo do tipo: “serei mais atencioso para com os idosos da igreja”; é melhor que a resolução seja: “farei pelo menos uma visita por mês a um irmão idoso da igreja”.

É isso aí queridos, vejam que esse exercício espiritual acabará tendo repercussões em nossa vivência prática, cotidiana. Alguns sonhos serão tirados da gaveta, sairemos do marasmo, mudaremos certos hábitos, adquiriremos outros. Ou seja, por meio de devocionais assim (oração meditativa) vivenciaremos nossa espiritualidade, afinal de contas a fé sem obras é morta.

Abraços cheios de saudades,
Prof. Eduardo

2 comentários:

  1. Meu caro Eduardo, Parabéns pela postagem.

    Estou buscando há alguns meses encontrar-me com DEUS em minhas orações e meditações, visando sempre encontrar e eliminar o que me impede de chegar mais próximo de DEUS.

    Me identifiquei bastante com o seu artigo, pois estou praticando essa oração meditativa antes de ler seu artigo e confesso que é uma ótima forma de olharmos para nosso interior e vivermos despertos para a vida e não dormentes;

    Deus Abençoe você.

    A Paz de Deus

    ResponderExcluir
  2. Não acho seguro esse tipo de oração... não defendo um Deus utilitário nem nada disso, mas vejo esse modelo como perigoso e esotérico

    ResponderExcluir